[ Motores de desenvolvimento territorial em estaleiros: o caso da Área Portuária do Rio de Janeiro, Brasil ]

Nas últimas décadas, a reestruturação de frentes marítimas tem se caracterizado pela recuperação de infraestruturas degradadas que caracterizam uma estrutura territorial essencialmente estratégica para o desenvolvimento econômico, estabelecendo possíveis novas relações com as bordas de água e permitindo a reconfiguração da atual imagem da cidade. O artigo busca fomentar novas discussões sobre o processo de inovação frente às relações de modernização de áreas portuárias, a partir de um estudo de novas tecnologias e conceitos para fomentar “Motores de Desenvolvimento Territorial”. O território abordado como caso de estudo, a Área Portuária do Rio de Janeiro – Cais do Caju se transpassa como um elemento estratégico para ampliar as novas dinâmicas portuárias em constante transformação, buscando novas relações com a sua frente marítima. O elemento norteador se pauta na reestruturação econômica de uma zona potencialmente caracterizada pelo suporte de conhecimento, geração de infraestrutura e aprimoramento em tecnologia naval. Este elemento é visto como uma nova possibilidade de gerar economia, a partir de sua transformação em uma possível rede de incubadora como fomentador social de melhoria territorial devido a inclusão de espaços públicos em função do aprimoramento e geração de novas empregabilidades, irradiando mudanças territoriais em série na relação cidade/porto.

Autores: 
    Carlos Andrés Hernández Arriagada

      LABSTRATEGY e Universidade Presbiteriana Mackenzie

    Glaucia Cristina Garcia dos Santos

      Em pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo FAUUSP

CITAÇÃO: HERNÁNDEZ ARRIAGADA, C. A.; GARCIA DOS SANTOS, G. C. (2019). Motores de desenvolvimento territorial em estaleiros: o caso da Área Portuária do Rio de Janeiro, Brasil. Revista De Geografía Espacios, 8(16), 213-240. 

CHILE_Universidad de Humanismo Cristiano
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram