[ PÓS DOUTORADO ]

logo-ods-aberto-e1562085500819.png
PROGRAMA PESQUISADOR COLABORADOR _PLANO FORMATO IEA_CARLOS HERNANDEZ  - IEA _CAHA_22_11_2020-1.jpg

A hinterlândia como promotora de estratégias de desenvolvimento territorial de zonas urbanas degradadas em cidades portuárias na América Latina.

Resumo: 
O projeto de pesquisa proposto é complementar ao projeto desenvolvido no Centro de Sínteses Instituto de Estudos Avançados – IEA USP, denominado de “A Hinterlândia como Promotora Territorial de Áreas em Transformação Advindas do Processo de Desindustrialização”, durante o período de 2019 e 2020, o qual versa pela identificação na América Latina sobre os impactos territoriais advindos da falência de infraestruturas, ocasionando diversas zonas degradadas na América Latina.
A pesquisa se coloca como possibilidade para as zonas portuárias e as suas conectividades com os setores urbanos e produtivos, sendo fomentadas através de estratégias que induzem os “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” para propiciar redes de interconexão com as cidades e as suas infraestruturas, estabelecendo melhorias nas zonas urbanas degradadas a partir da estruturação e desenvolvimento de “Super Hinterlândias”.
A escolha da temática em questão se baseia devido a importância das zonas portuárias e de sua conectividade com os setores produtivos, de modo como esses se interconectam com as cidades e suas infraestruturas, que ao longo do século XX, principalmente os setores industriais, declinaram economicamente, gerando diversas problemáticas territoriais.
O modelo permite a ampliação de zonas potenciais de densidades, de empregabilidade e ampliação de indicadores de desenvolvimento urbano, devido a essa característica ser geograficamente significativa na América Latina. O recorte se estabelece na conectividade e no macro hub (zona de concentração) possível de interconexão, presente nos principais portos indicados em 2020 pelo CEPAL (Comissão Econômica para a América Latina e Caribe).
A pesquisa tem como objetivo aplicar estratégias que possibilitem desenvolver cenários projetuais futuros de desenvolvimento das zonas de hinterlândia na América Latina. Promovendo e fomentando redes articuladas entre novas cidades, bordas portuárias de maior competitividade, suporte no macro território por meio da aplicação de ferramentas metodológicas apoiadas na reestruturação de novos ciclos econômicos e território urbanos mais competitivos. Ampliando a capacidade dos setores industriais, capacidades produtivas e urbanas de distribuição advindas desses setores para a geração de novas características dos Hub-Portuários frente as melhorias territoriais.

PLANO FORMATO IEA_CARLOS HERNANDEZ  - IE

A hinterlândia como promotora territorial de áreas em transformação advindas do processo de desindustrialização.

Resumo:

O projeto de pesquisa versa sobre a reestruturação produtiva em zonas urbanas localizadas no Brasil e no Chile, avaliando indicadores de desenvolvimento urbano, agentes atuantes no território, e a falência das áreas que impactaram os setores que poderiam ter induzido a expansão da denominada Hinterlândia, presente no suporte de áreas industrias, em seus respectivos setores portuários.
A escolha se baseia devido a importância das zonas industriais, que ao longo do século XX, sofreram declínio econômico, gerando falência em regiões ferroviárias que atuavam como impulsionadoras das zonas de estoques portuários, em ambas estruturas, tanto na Hinterlândia quanto ao longo de suas áreas conectivas, aspectos de degradação em meio aos territórios urbanizados que as margeiam, ocasionando impactos em áreas de alto potencial de densidade, de empregabilidade e originando baixo sindicadores de desenvolvimento urbano.  
Os territórios avaliados devido as características específicas de produtividade, geografia e escala, que se comportam de maneira autônoma e independente, são os portos de Santos/Brasil e San Antônio/Chile. Santos como o 2º maior porto da América Latina devido ao atual cenário do Canal do Panamá e San Antônio, sendo o responsável por 30% do escoamento da produção e com altos índices de possibilidade de crescimento para se tornar o mais importante da costa sul do Pacífico. 
A pesquisa tem como objetivo, aplicar estratégias que possibilitem desenvolver cenários projetuais futuros de desenvolvimento das zonas de hinterlândia que se utilizem de zonas urbanas interconectadas pela linha férrea e que sofreram processos de deterioração devido a sua falência produtiva e/ou mudanças da sua produção industrial que as caracterizavam. Sendo aplicadas ações de melhorias territoriais para gerar ferramentas metodológicas apoiadas na reestruturação e no fomento de novos ciclos econômicos para a redesenvolvimento destes setores industriais, que atuam como implementadores para a possibilidade de serem geradas novas características as atuais Hinterlândias, ampliando capacidades produtivas e de distribuição advinda destes setores para a geração de novas características para os Hub-Portuários.

[ METODOLOGIA APLICADA NOS CASOS DE ESTUDO ]

BRÁS e MOOCA

CAMPO LIMPO PAULISTA

CAPUAVA

LAPA e ÁGUA BRANCA

VALONGO

VÁRZEA PAULISTA

WhatsApp Image 2020-05-03 at 18.45.37.jp

Seminário UNAM

Centro de Investigação em Geografia Ambiental (CIGA)

"Hinterlândia como promotora territorial de áreas em transformação advindas do processo de desindustrialização"

Data: 13 de maio as 12:00 

Organização: Universidad Nacional Autónoma de México

 
WhatsApp Image 2020-05-14 at 15.36.28.jp

Simpósios USP Cidades Globais

2019 (10º encontro)

Globalização, Reestruturação Produtiva e Intervenções Urbanas em áreas e transformação: O caso dos portos Latino-americanos.

  1. Zonas Industriais: Caso Mooca/SP – Dr. Eduardo Cusce Nobre (FAUUSP)

  2. Puerto de Barcelona / Rio de Janeiro – Dr. Jorge Basani (FAUUSP)

  3. Porto de Santos - Carlos A. Hernández A. (IEAUSP/FAUMACK)

  4. Puerto Madero – Guillermo Jajamovich (UBA)

  5. Puerto de Valparaiso – Glaucia Garcia (FAUUSP)

  6. Puerto de Concepción – Claudia Garcia Lima (UDEC)

Relatório Científico Final

CAPA RESULTADOS.jpg