[ Estratégias de Desenvolvimento Territorial: Casos la Población Paricota, Comuna de Quilicura (Santiago/Chile), San Pedro de la Paz (Concepción/Chile) e Favela de Paraisópolis (São Paulo/Brasil) ]

A presente pesquisa aborda sobre reestruturação econômica em zonas urbanas degradadas na América Latina, por meio de avaliações territoriais e análises de áreas localizadas no Chile e Brasil, avaliando os indicadores de desenvolvimento urbano, os agentes atuantes no território, os ciclos econômicos envolvidos durante o século XX e os planos urbanos que impactaram estes setores e suas expansões. A escolha dos casos se baseia em zonas urbanas que se caracterizam devido ao seu alto impacto de degradação, ocasionando áreas de alta densidade e de baixos indicadores de desenvolvimento urbano. Em SantiagoChile com a Comuna de Quilicura, com altos índices de violência e degradação urbana; em Concepción - Chile com a zona urbana de San Pedro, impactada com o Tsunami e no Brasil com a favela de Paraisópolis em São Paulo, com índices de violência urbana, ocupação informal e indicadores de desenvolvimento humano significativos. O sistema metodológico proposto, faz parte de um instrumento que se utiliza de estratégias por meio de análises resultantes de diagnósticos territoriais, com a aplicabilidade específica de uma “Metodologia em Estratégias Projetuais (MEP)” atuando como uma ferramenta de “Think Tank”, planificando e direcionando estratégias para a produção diversificada frente a restruturação econômica para cenários de cidades sustentáveis, partindo da dissecação do território, compreendido através dos seus indicadores quantitativos e qualitativos. Dando origem ao desenvolvimento de ações táticas por meio de ferramentas conceituais que se estruturam em ações pontuais de remodelações que nascem através da composição de seus elementos territoriais, fundamentados para a produção de estratégias como geradoras de cenários temporais, se caracterizando em Econômicas, Governamentais, Sustentáveis e de Urbanidade. A proposta tem como horizonte, o ano de 2030 e se utiliza como norteador para avaliação dos casos, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos em 2015 pela ONU. Entre os elementos abordados nos objetivos, as temáticas são fundamentais para: erradicação da pobreza, segurança alimentar e agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, redução das desigualdades, energia, água e saneamento, padrões sustentáveis de produção e de consumo, mudança do clima, cidades sustentáveis, proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres, crescimento econômico inclusivo, infraestrutura e industrialização, governança, e meios de implementação. Estes instrumentos farão parte do escopo através dos seguintes parâmetros: Social: relacionada às necessidades humanas, de saúde de melhoria da qualidade de vida e justiça; Ambiental: trata da preservação e conservação do meio ambiente, com ações que vão desde a reversão do desmatamento à biodiversidade, combate à desertificação, uso sustentável dos oceanos e recursos marinhos até a adoção de medidas efetivas contra mudanças climáticas; Econômica: aborda o uso e o esgotamento dos recursos naturais, a produção de resíduos, o consumo de energia, entre outros; Institucional: a capacidades de colocar em prática os ODS. Portanto a funcionalidade da pesquisa levará em conta as atuais infraestruturas urbanas existentes para gerar potenciais cenários de desenvolvimento futuros, com qualidades territoriais e baixo impacto nas populações locais.

Autores: 
    Carlos Andrés Hernández Arriagada

      LABSTRATEGY e Universidade Presbiteriana Mackenzie

    Claudia Garcia Lima

      Universidad de Concepción

    Glaucia Cristina Garcia dos Santos

      Em pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo FAUUSP

    Voltair Alvarado Peterson

      Universidad Católica de Chile

LEIA COMPLETO

LOG-PUCE-SEDE-MANABI.png
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram