[ EXTENSÃO RIO DE JANEIRO ]

logo-ods-aberto-e1562085500819.png
Imagem RJ.jpg

Estratégias de desenvolvimento territorial e sócio-econômico das zonas urbanas degradadas da hinterlândia do Porto do Rio de Janeiro – RJ / Brasil

Apresentação:

Tem-se como objetivo o desenvolvimento de um projeto multidisciplinar que está pautada a partir das transformações possíveis de serem realizadas nas zonas de abrangências da Hinterlândia1 da cidade do Rio de Janeiro, tendo as infraestruturas como impulsionadoras de recuperação das zonas urbanas degradadas que surgem das falências de ocupação e produção deste território.
A extensão busca aglutinar pesquisadores das universidades parceiras que na atualidade conformam uma rede atuante na temática relacionada à cidade-porto, tanto na gestão pública, no desenvolvimento da melhoria urbana e sua ocupação populacional e na abordagem das relações de desenvolvimento de planos estratégicos, como os entes privados, suas organizações territoriais, funcionamento e reflexos no uso do espaço físico e demanda de infraestrutura.

O projeto se debruça ao longo da zona de Hinterlândia, tendo a parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro, de agentes portuários na conformação e discussão da melhoria entre as relações cidade e água, propiciando soluções, tanto no desenvolvimento de diagnósticos, tratamento de problemas e melhoria a qualidade de vida da população local e elaboração de matrizes e estudos sobre desenvolvimento regional integrado, tendo como base recursos locais renováveis e práticas sustentáveis.
Desta maneira podem ser consideradas as seguintes contribuições iniciais para a estruturação do trabalho: 1. Ampliação dos modelos de análises territorial, tendo o Método em Estratégias Projetuais (MEP)
2 aplicado como suporte para a zona portuária do Rio de Janeiro; 2. Identificação de processos de transformação que ocorrem nas zonas portuárias que possibilitem direcionar a recuperação do território, a geração de empregos e novas relações socioculturais; 3. Intercâmbio multidisciplinar entre as diversas áreas do conhecimento e instituições que permitam a ampliação do debate da aplicabilidade de estratégias como indutora dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), propiciando a aplicação do planejamento estratégico para novos processos de urbanização.
Quanto aos impactos sociais é fundamental que sejam salientados: 1. Novos mecanismos de produção econômica e reestruturação no desenvolvimento de planos de recuperação para zonas degradadas; 2. Formulação de novos cenários de desenvolvimento urbano e atendimento às comunidades locais em situação de risco; 3. Ampliação e recomendação para o desenvolvimento de possíveis políticas públicas para a geração e recuperação de zonas degradadas identificadas como:
a. setores de estaleiro; b. cemitério de embarcações; c. ocupação informais; 4. Fortalecimento de novos setores de produção socioeconômica gerando novas redes geográficas e zonas de desenvolvimento urbano, como elemento atrativo para uma ocupação adequada entre as zonas de cidade e o mar.


GÕES, Hildebrando de A. Planejamento portuário. Rio de Janeiro: Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2002. Este termo caracteriza o potencial territorial para a geração de cargas que é implementada pelo nível de desenvolvimento da região no qual o porto está inserido levando em consideração a infraestrutura de transporte, os custos e o serviço de alimentação.
2 Processo Metodológico estruturado a partir da dissecação do território, sendo compreendido através dos seus indicadores e levantamentos quantitativos e qualitativos, esta etapa dá origem ao desenvolvimento de ações táticas por meio de ferramentas conceituais, que se origina do doutorado defendido em 2012 – Estratégias Projetuais no Território Portuário de Santos. HERNÁNDEZ ARRIAGADA,
Carlos Andrés. Estratégias projetuais no território do porto de Santos. 2012. 279 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

[ EQUIPE ]

PROFESSORES 

Carlos A. Hernández A.

FAU MACKENZIE - São Paulo

Paulo Roberto Correia

FAU MACKENZIE - São Paulo

Glaucia Garcia dos Santos

FAU USP - São Paulo

Tatiana Cortesi Tucunduva

FAU USP - São Paulo

Débora Sotto

FAU USP - São Paulo

Carlos Murdoch

UVA - Rio de Janeiro

Edson Maciel

UVA - Rio de Janeiro

Luis Rogério Pupo Gonçalves

UNISOCIESC - Santa Catarina

Claudia Lima Garcia

FAUG - Chile

Alberto Texido Zlatar

Universidad de Chile

George Beyer 

Diretor do Centro de Investigação

Marcella.gif

Marcella Del Signore

NYIT - Nova Iorque 

Cinthia Ruiz López

UNAM - México

Luzorquídea Castro Sánchez

UNAM - México

COLABORADORES

Paula  Toledo

FAU USP - São Paulo

Débora Lecce Rios

FAU MACKENZIE

DISCENTES

Raquel Ferraz Zamboni

FAU MACKENZIE - São Paulo

Mariana Chaves Moura

FAU MACKENZIE - São Paulo

Giovana Gravellos Dias Starke

FAU MACKENZIE - São Paulo

Guilherme Gallo Cavenaghi

FAU MACKENZIE - São Paulo

Mariana Ragazzi Mendes

FAU MACKENZIE - São Paulo

Paola Serafim Filócomo

FAU MACKENZIE - São Paulo

Bruna Leticia de Fraga

FAU MACKENZIE - São Paulo

Isabella Basile Sposito

FAU MACKENZIE - São Paulo

Giovanna R.R. de M S. Arruda

UVA - Rio de Janeiro

Fábio Cabral dos Santos

UVA - Rio de Janeiro

Stephanie da Silva Anjos.gif

Stephanie da Silva Anjos

UVA - Rio de Janeiro

Renato Marcelino G. de Souza

UVA - Rio de Janeiro

Eduardo Alejandro Riffo Durán

FAUG - Chile

[ DESENVOLVIMENTO ]

WEBINAR 1.0 - ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL E PORTUÁRIO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - RJ

WhatsApp Image 2021-04-26 at 21.44.22.jpeg

PARTE 01

PARTE 02

EGAL 2021 - XVIII ENCUENTRO DE GEOGRAFÍAS DE AMERICA LATINA

18-encontro-egal-cfp.jpg

O XVIII “Encontro de Geografias da América Latina” (EGAL) realizado em conjunto com o VIII Congresso Nacional de Geografia das Universidades Públicas da República Argentina acontecerá na cidade de Córdoba-Argentina, nos dia 30, 1, 2, 3 e 4 de novembro de 2021.
Tem o objetivo de fortalecer a produção do conhecimento geográfico como contribuição para a construção de uma sociedade mais justa, equitativa, inclusiva e solidária, em pleno exercício da democracia, nos reunimos sob o lema “Construindo conhecimento emancipatório dos e para os territórios”.

egal2 30.11.21.jpeg
egal 30.11.21.jpeg

RESUMOS ENVIADOS PARA AS MESAS TEMÁTICAS 74 E 75 DO EGAL

Adaptações de estruturas portuárias frente a elevação do nível dos oceanos.

Estratégias para produção de energia elétrica sustentável no Vale do Jequitinhonha
implementando sua infraestrutura socioeconômica

Reciclagem Industrial em Cemitérios de Embarcações: Baía de Guanabara, Brasil em interface com Alang, Índia.

Políticas público privadas como instrumento de reestruturação territorial do porto do Rio de Janeiro

Estrategias de mitigación urbana para la actividad portuaria industrial aplicables al borde costero de Coronel

  MESA 74

  Paula Von Zeska de Toledo

 

paula toledo.jpg

  MESA 74

mariana ragazzi.jpg

  Mariana Ragazzi Mendes
  Bruna Loporchio Lazareti
  Paulo Roberto Corrêa

  MESA 74

raquel.jpg

  Fábio Cabral dos Santos
  Raquel Ferraz Zamboni
  Edson Agostinho Maciel

  MESA 74

eduardo riffo.jpg

  Eduardo Riffo Durán
  Claudia Garcia Lima
 

  Serafim FilócomoPaola
  Paulo Roberto Corrêa

N°75_Serafim Filócomo Paola_PONENCIA-1.jpg

  MESA 75

LOGO LAB.png
BRASIL_Universidade Presbiteriana Macken
BRASIL_Universidade_de_São_Paulo_IEA.png
CHILE_Universidad de Concepcion.png
DOCAS DO RIO.png
RJ 1.png
RJ PREFEITURA.png
Santisima concepcion.png
cimp chile.png